Postagem

Com a chegada do verão, fica mais comum o aparecimento destes hóspedes indesejados, que conseguem se proliferar mais rapidamente nas altas temperaturas. Com isso, aquele cupim ou pernilongo isolado pode, em pouco tempo, causar uma verdadeira infestação.

Mantenha a casa limpa

O primeiro passo para evitar o aparecimento dessas pragas é mudar alguns hábitos cotidianos como fechar as portas e janelas ao entardecer, evitar se alimentar nos quartos e salas, manter os ambientes sempre limpos e evitar deixar alimentos expostos. Também é indicado fazer a dedetização de forma preventiva e periódica.

Tipos de dedetização

Atualmente, quatro métodos de dedetização são mais comuns, são eles:  spray, gel, pó e isca. Para cada tipo há uma recomendação. Do mesmo modo, a escolha do veneno também varia.

O spray tende a ser vantajoso quando aplicado no combate de baratas e formigas. Este método, em que é necessário manter a residência vazia por seis horas, pode ser inviável para casas com crianças e animais, pois estes podem sofrer com o forte cheiro. Já o gel, que também combate estes insetos, costuma ser colocado em lugares escondidos ou de difícil acesso, mas também necessitam de atenção. A contrapartida é que pode custar até três vezes mais do que o spray.

O pó atua para a morte de ratos de maneira lenta, agindo em até 48 horas. A substância gruda no pelo oleoso do animal, que volta para o ninho. Como os ratos têm o hábito de se lamber, espalham o veneno entre si. Se a crianças ou animais, o uso deste produto deve ser bem avaliado, pois há risco de intoxicação. Apartamentos com crianças e animais devem evitar este tipo de produto. A mesma coisa de resume às iscas, que também servem para eliminar ratos, porém tem efeito mais rápido.

Mão de obra e recomendações

Este processo, que deve ser refeito a cada seis meses, pode acontecer de duas maneiras. A primeira delas é a dedetização convencional, que hoje já não oferecem riscos à saúde do morador, e a integrada, na qual um grupo forma uma força tarefa para fazer a limpeza, sempre orientados por uma empresa especializada.

Ao contratar uma empresa, verificar se a mesma está registrada num conselho profissional (CREA, CRQ, CRMV, CRF e CRBIO), se possui um Responsável Técnico e a Licença de Funcionamento emitida pela Vigilância Sanitária.

Outro detalhe importante na hora de escolher a dedetizadora é a qualificação da mão de obra, para evitar possíveis intoxicações e outros problemas causados pelos inseticidas usados no processo. Solicite também a realização de uma vistoria completa na área que será dedetizada. Pois, só após a verificação do real problema é que se prepara um plano de tratamento já com a escolha do biocida correto. Isso minimiza os impactos às pessoas e ao meio ambiente.

Pragas mais comuns

Cupim: é a praga que costuma causar o maior prejuízo econômico. Ao contrário do que muitos pensam estes animais não destroem somente madeira, mas podem devastar tecidos, plásticos, borracha, couro, revestimentos de cabos elétricos, entre outros materiais, prejudicando assim todo e qualquer lugar em que se instalem.

É possível identificar sua presença com o aparecimento de farelos de madeira e com a sensibilidade de alguns objetos.

Barata: o terror das mulheres – e dos homens – é um dos insetos mais antigos da Terra. Altamente resistentes e versáteis, ela pode sobreviver aos mais diversos locais e ambientes. Vetor de doenças, o animal costuma aparecer nos mais diversos locais da casa.

Formiga: espertas e sociáveis, estes insetos podem ser encontrados nos mais diversos ambientes da casa. As construções possuem diversos locais favoráveis para a construção de ninhos destes insetos, como dentro de conduítes, frestas atrás de azulejos, além de equipamentos elétricos e eletrônicos.

Atacam alimentos por toda a casa e podem picar. Algumas espécies, inclusive, podem causar reações alérgicas.

Mosquitos: é um termo utilizado para nomear diversas espécies de insetos da família Culicidae (pernilongos). Estes insetos em sua maioria sugam sangue de outros animais o que os caracterizam vetores de diversas doenças.

Ratos: eles também podem invadir o seu lar pelo encanamento ou pelas janelas, mesmo em andares altos. Para tirá-los de casa, é necessário um procedimento chamado de desratização, que utiliza iscas para atrair o roedor e envenená-lo, juntamente com os outros espécimes no ninho. Identificar qual o tipo de animal é fundamental para executar este sistema adequadamente.

Fonte: Morar Kallas.