fbpx

BLOG

Trace um plano contra as traças

/
Com o frio chegando aos poucos, começamos a retirar os cobertores e as roupas mais quentes da “hibernação”. E, em muitas casas, abrir as portas do guarda-roupas é a hora de descobrir o esconderijo das famosas e incômodas traças. Mas a gente sabe que não precisa ir muito longe para encontrar esses bichinhos indesejados, certo? Se não sabe do que estamos falando, vem saber mais sobre eles. Há quem acredite que as traças surjam de um lugar desconhecido no espaço-tempo, mas a verdade é que há dois tipos de traças, carregadas para seu doce lar por meios que talvez você nem preste muito a atenção. O primeiro tipo de traça faz parte da família dos tineídeos, que ficam pendurados na parede dentro de uma casquinha. Essas traças vivem primeiro em forma de larva e depois se transformam em pequenas mariposas quando atingem a maturidade. As larvas, que se movem de um lado a outro, sobrevivem se alimentando de tecidos de algodão e lã, podendo danificar tecidos e roupas. Já os insetos do segundo tipo são os peixinhos-de-prata, que não possuem asas, não viram mariposa, mas podem causar um estrago e tanto. Vivem em locais úmidos e frescos, como porões e banheiros, mas também são encontrados embaixo de camas, em estantes, prateleiras de armários e atrás de batentes, janelas e rodapés. Se alimentam de celulose: além de contaminar os alimentos, costumam danificar documentos, dinheiro, revistas e etc. Definitivamente, não é muito fácil identificar os locais de infestação ou acabar com todos esses visitantes incômodos. Saiba que, nesse caso, também é recomendável a Desinsetização ou mais conhecida como dedetização. Fale com a Detecta, temos uma equipe especializada em controle de pragas urbanas e uma gama de serviços que atendem à sua necessidade. Telefone: (19) 3268-6200 WhatsApp (19) 3245-0723 E-mail: contato@detecta.com.br

Controle de Pragas conforme a Legislação.

/
Você sabia que existe um regulamento técnico da prestação de serviço de controle de vetores e pragas urbanas? Trata-se da Resolução n° 52, de outubro de 2009, publicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que dispõe sobre o funcionamento de empresas especializadas na prestação desse tipo de serviço. Esse regulamento estabelece diretrizes, definições e condições gerais para o funcionamento dessas empresas nos diversos ambientes, de indústrias a comércios, de empresas de cosméticos a shoppings, de veículos de transporte coletivo a aeroportos. São as famosas boas práticas, nesse caso aplicadas ao controle de pragas de todo o tipo, em ambientes urbanos. Alguns pontos se destacam na RDC n 52. Um deles é o artigo 4°, que afirma ser obrigatório o registro da empresa especializada, enquanto pessoa jurídica devidamente constituída, licenciada pelos órgãos competentes da saúde e do meio ambiente, para prestar serviços de controle de vetores e pragas urbanas. O uso do Equipamento de Proteção Individual (EPI), item que ganhou destaque durante a pandemia de coronavirus, sempre fez parte da realidade desses profissionais. Obrigatório, o item tem a função de preservar a saúde, a segurança e a integridade física do trabalhador. Fique atento a outros pontos. Toda empresa de combate a pragas urbanas deve possuir licença ambiental ou documento que licencia a empresa especializada a exercer atividade de prestação de serviços de controle de vetores e pragas urbanas, que é concedida pelo órgão ambiental competente. A legislação aponta outras boas práticas envolvendo propaganda, comprovação do serviço, descarte de materiais e instalações. É muito? Pois fique tranquilo, a Detecta atende a todos esses requisitos, garantindo conforto, respeito e segurança para todos. Para saber mais, consulte aqui: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2009/rdc0052_22_10_2009.html Se convenceu? Então fale com a Detecta, temos uma equipe especializada em controle de pragas urbanas e uma gama de serviços que atendem à sua necessidade. Telefone: (19) 3268-6200 WhatsApp (19) 3245-0723 E-mail: contato@detecta.com.br

Nem todo “rato” que voa é morcego

/
Apesar de existir mais de 50 espécies de pombos, distribuídas pelo mundo todo, o exemplar mais conhecido, principalmente devido à presença acentuada no ambiente urbano, é o pombo doméstico Columbia livia. Esses animais se adaptaram a todas as estruturas arquitetônicas desse ambiente.

Doenças respiratórias: melhor prevenir do que remediar, Sanitização pode te ajudar.

/
O problema é que o ar seco típico dessa época dificulta a dispersão de partículas como vírus, bactérias e poluentes da atmosfera, causando as famosas doenças respiratórias. São esses microorganismos que geralmente provocam os incômodos mais comuns dessa temporada: asma alérgica, rinite, sinusite e outras alergias respiratórias. Felizmente, há muitas tecnologias à nossa disposição para proteger a saúde. Uma delas é a sanitização de ambientes, que hoje é realizada com produtos de ponta e com total segurança para você e o meio ambiente.

Ratos, ratazanas e camundongos: tem diferença?

/
Os roedores são conhecidos por disseminar doenças, danificar…

O monitoramento contínuo de pragas é a solução para seu negócio.

/
Certamente você tem ouvido falar bastante sobre a Anvisa durante…

Pragas e grãos: uma combinação que não dá certo

/
Seja sua empresa a que produz (setor do agronegócio) ou…

As Pragas Urbanas não respeitam a fase Roxa

/
Com o aumento de casos de covid-19, muitos estabelecimentos…

Quais são as espécies de escorpião mais perigosas?

/
Grande parte das espécies de escorpião vive nos desertos, aos…

Para cupim...dinheiro dá em árvore!

/
Uma história inusitada envolvendo cupins foi divulgada em alguns…