BLOG

Nem todo “rato” que voa é morcego

Apesar de existir mais de 50 espécies de pombos, distribuídas pelo mundo todo, o exemplar mais conhecido, principalmente devido à presença acentuada no ambiente urbano, é o pombo doméstico Columbia livia. Esses animais se adaptaram a todas as estruturas arquitetônicas desse ambiente.

Alimentam-se principalmente de grãos e sementes. Por esse motivo, acredita-se que o vínculo com a espécie humana se fortaleceu devido às deficiências no transporte e armazenagem dos grãos, no trato das diversas culturas e na destinação de resíduos.

O ciclo reprodutivo dessas aves depende da disponibilidade de alimento. Em centros urbanos, a reprodução destas aves ocorre o ano todo, exceto na época de muda das penas, antes do inverno. Estes “pombos de rua” se adaptaram rapidamente a esse ambiente por três razões básicas: abrigo acessível, ausência de predadores e disponibilidade de alimentos.

Infelizmente, os pombos são considerados uma praga urbana. Presentes em todo lugar, especialmente em praças públicas, industrias, silos e todos os locais, essas aves urbanas podem estar contaminadas e se tornar transmissoras de diversas doenças e enfermidades, como salmonelose, clamidiose, criptococose, toxoplasmose, histoplasmose e outras.

Mas sem que a eliminação das fontes de abrigo, água e alimentação seja processada, é impossível ter sucesso na eliminação de áreas alvo para o manejo e controle.

O Manejo de pombos em industrias, empresas, comércios e residências, é feito por empresas especializadas, como a Detecta.

Fale conosco, temos uma equipe especializada em controle e manejo de pragas urbanas e uma gama de serviços que atendem à sua necessidade.

Telefone: (19) 3268-6200

WhatsApp (19) 3245-0723

E-mail: contato@detecta.com.br